História

O jornal Correio Trespontano possui 40 anos de uma história que alia tradição, jornalismo de qualidade e compromisso social com o desenvolvimento da cidade de Três Pontas. Com publicação imprensa ininterrupta desde sua fundação, o veículo agora estende ao meio virtual, de forma ágil e dinâmica, a produção de conteúdos diversos sobre cidadania, política e cultura. Maior jornal de Três Pontas e respeitado em todo estado, o Correio conta com colaboradores, como jornalistas e articulistas, de Minas e diversas partes do Brasil, contribuindo para uma visão plural e nacional sobre os desafios sociais do país. Em meio virtual, nossos assíduos leitores e novos públicos poderão contar com nossa característica de informação transparente e defesa dos interesses da população local, cobrando e reivindicando melhorias na prestação dos serviços em prol de melhor qualidade de vida aos cidadãos.
A história do Correio do Trespontano se confunde com a trajetória da Belô Gráfica, criada no início dos anos 70, sempre buscando qualidade e inovação técnica. A empresa presta, há mais de quatro décadas, serviços gráficos para Três Pontas e toda a região do Sul de Minas. É administrada atualmente por Leonardo Figueiredo Veiga e Joana Figueiredo Veiga, com apoio de Ana Teresa Fagundes Figueiredo e João Corrêa Veiga Filho. A empresa conta ainda com o trabalho de cerca de 20 colaboradores na criação, diagramação e impressão de jornais, revistas, cartazes, panfletos, convites, cadernos, folders, pastas, receituários, cartões, adesivos, fichas, diários, embalagens, enfim, todos os tipos de impressos.

Conheça mais a história da Belô Gráfica e do Correio Trespontano
Em 1972, João Corrêa Veiga Filho e seu sogro, Haroldo de Souza Figueiredo, criam em Belo Horizonte a Belô Gráfica Ltda, com sistema tipográfico (prensa móvel, guilhotina, picotadeira, grampeadeira, tipos gráficos feitos em metal). Em 1976 a estrutura migra para Três Pontas, terra natal de seus fundadores. Na época, a Belô Gráfica funcionou na Rua Dr. Joaquim de Brito e posteriormente na Rua Imperatriz, até construir sua sede própria onde está atualmente, na Avenida Prefeito Nilson Vilela – sendo esta a primeira construção da bela avenida de acesso à cidade na década de 1990.
O Correio Trespontano, por sua vez, foi fundado em 1979 por João Corrêa Veiga Filho e Haroldo de Souza Figueiredo. “Começamos com o jornal no sistema tipográfico, no início com apenas quatro páginas. Era bem manual na época, tanto a diagramação, com tipos de metal, quanto a impressão, com uma prensa móvel. Depois de um período, adquirimos uma máquina linotipo, que aposentava os tipos de metal e fundia as letras na hora da composição, através de uma caldeira com chumbo quente derretido. Com isso, passamos a imprimir mais páginas em nosso semanário. As fotos e os logotipos só poderiam ser utilizados através de clichês, que eram feitos em Belo Horizonte e demoravam dias para chegar”, conta João Corrêa Veiga Filho. Com a chegada do computador, a composição de textos e a diagramação ganharam agilidade. Então surgiu a novidade do Nylonprint. Neste processo, tirava-se uma transparência do computador que era passada para uma placa de borracha, que seria utilizada na impressão manual (prensa móvel). Na época, o jornal ganhou novas fontes de letras e pode-se utilizar fotos, dispensando os clichês. Posteriomente chegou a primeira off-set, sistema utilizado até hoje, abrindo uma nova etapa na empresa. Com a off-set, tornou-se possível a impressão em policromia e a prestação de serviços de qualidade para toda a região. Além de computadores, impressoras e reveladores de chapa positiva de off-set, a Belô Gráfica possui atualmente duas guilhotinas, máquinas de picote e grampo, prensa de corte e vinco, dobradeira, furadeira, espiral, uma off-set formato A4, duas off-set formato A2, uma off-set bicolor formato A2 e, recentemente, adquiriu uma off-set 4 cores formato A2. Além da impressão de serviços gráficos, a direção da empresa busca agora diversificar sua produção, passando a oferecer também embalagens de papel cartão e papelão ondulado.